Você não é preguiçosa

By Thaw - abril 19, 2022

Dreamstime

Outro dia estava dando uma aula sobre autobiografia. Para iniciar o assunto, várias perguntas de respostas pessoais eram feitas e uma delas era "Você acha que conhecer a história de outras pessoas te ajuda a entender melhor sua própria história?". Eu, particularmente, acho que sim e foi por isso que resolvi dividir essa pequena descoberta aqui.

Você não é preguiçosa. 

Eu não sou preguiçosa. 

Não somos preguiçosas, estamos cansadas.

Hoje em dia, e até muito antes, surgiu essa pressão para que estejamos sempre sendo produtivas e as pausas, aqueles momentos em que fazemos vários nadas, não são vistas com bons olhos. Esse julgamento com o qual crescemos, essa pressão diária que vem de várias fontes nos instigando a não parar, tudo isso faz com que a gente se sinta mal por não estar fazendo nada. Mas a realidade é que fazemos milhares de coisas o tempo todo. E, sério, não tem nada demais em parar quando pode e fazer nada. Assistir série. Ver vídeo no Youtube

Também convivo com a pressão externa e principalmente, com a pressão interna. Essa voz insistente que sempre diz que eu deveria estar fazendo isto ou aquilo, quando estou vendo série ou relaxando. Tomar chá, acender incenso, ler?? Não, não pode. Tem que estudar, fazer exercício, trabalhar, faxinar a casa, comer melhor e mais um monte de coisas que vem à mente nesses momentos.

Essa semana, com o feriado prolongado, consegui parar e respirar. Consegui dormir noites inteiras, até acordar voluntariamente na manhã seguinte. Sem despertador, sem um monte de obrigações ao longo do dia. E o resultado é que me sinto mais animada para fazer outras coisas. Fiz as unhas, passei um esmalte rosa neon, hidratei o cabelo, cuidei das plantas, e estou aqui escrevendo um post. Me sinto mais calma, descansada, com mais vontade de fazer outras coisas que gostaria de ter feito antes, mas que não consegui. Porque eu estava cansada demais. 

Talvez você se sinta da mesma forma. Talvez você queira fazer algo que não está conseguindo fazer e se sinta culpada nos poucos momentos que tem para parar e respirar. Porém, te peço, acredite em mim. Você é apenas um ser humano. O corpo cansa. A cabeça cansa. E esse descanso é necessário e deve ser vivido sem culpa. E, de verdade, quando você puder parar e descansar por um tempo, vai perceber que você é diligente. Você pode fazer o que quiser quando aprender a respeitar as suas limitações, não apenas físicas e mentais, mas de tempo também.

Você não é preguiçosa.

  • Share:

You Might Also Like

0 comentários