Por que não gostei da segunda temporada de Bridgertons

By Thaw - junho 07, 2022

Tecmundo

Quem me acompanha, seja no meu Instagram pessoal, seja pelo do TL, certamente notou o quanto eu compartilhava posts, spoilers, etc, da saga Bridgerton. Conheci os livros em 2017 através de uma amiga. Foram eles que me inseriram no universo do romance de época, e o segundo livro foi o que mais gostei. Então imagine você qual era o tamanho da minha ansiedade para assistir a segunda temporada de Bridgertons.

A primeira temporada foi bastante fiel ao enredo do livro, e apesar das mudanças, o cerne da história se manteve. Sendo assim, depois de devorar a primeira temporada, minhas expectativas eram altíssimas para a segunda temporada. Só conseguia pensar em como a Netflix conseguiu criar algo novo ao mesmo tempo em que era possível identificar claramente a história-mãe. Personagens, personalidades... ao meu ver, tudo estava em harmonia total. Até os personagens novos e enredos no geral me agradaram. Teve uma ou outra coisa da qual não gostei 一 como o fato de a Pen ter sido muito fdp com a Marina, apesar de demonstrar gostar muito dela. 

Francamente, achei que eu assistiria do primeiro ao último episódio de uma vez só, tamanha era a vontade que eu tinha de ver a segunda temporada da série. E a verdade é que depois de uns 2 episódios, percebi que isso não ia acontecer.

No livro, temos um Anthony marcado pelo trauma da perda do pai. Ele sente que seu destino será semelhante e tem medo de se envolver emocionalmente. Kate também tem seus próprios fantasmas, tendo visto, na infância, sua mãe morrer, o que causa nela um medo terrível de tempestades. Nesses momentos, assim como Anthony, Kate se vê diante toda a sua mortalidade e tem certeza de que vai morrer. Os dois são dedicados à família, apesar de Kate ser meio irmã de Edwina. A relação das duas não passa por qualquer problema, sendo a relutância de Anthony em reconhecer seus sentimentos por Kate a grande espera do livro. 

Na série, temos uma Kate arrogante e prepotente, que não é exatamente de confiança, já que esconde coisas importantíssimas da irmã e única parente de sangue viva que tem. O relacionamento das duas é bastante harmonioso, até que Edwina descobre a natureza dos sentimentos de sua irmã e de Anthony e passa a agir de forma passivo-agressiva com a irmã. Aliás, a Edwina, no livro, é uma moça ingênua, confia plenamente no julgamento da irmã, em momento algum se apaixona pelo Anthony, nem tem grande destaque na história. Já na série, é basicamente ela a nobre de coração que conserta a situação com a irmã, ela é a mulher madura e espirituosa, com jogo de cintura para conquistar até mesmo a rainha. E o trauma da Kate, aquele que fez com que ela e o Anthony se enxergassem um na fraqueza do outro? É resumido a um "tenho medo de tempestades" em uma única e simples cena.

A segunda temporada passa a sensação de ter sido criada com o intuito de lançar várias pontas soltas para continuações, ao invés de focar-se mais na história do casal da vez. Sabe essas cenas mais cheias de química entre os dois, ou de cenas realmente românticas? Todinhas estão nos últimos 2 episódios. E não, não estou falando de sexo. Estou falando da troca significativa de olhares, de troca de beijos e de toques sutis que demonstram que um se importa com o outro, mesmo por baixo de toda a animosidade demonstrada.

E a cena da abelha! Se você não leu o livro, te convido a ler. Foi o grande momento de fraqueza de Anthony, o momento em que ele se perde da razão, o momento em que sua mãe vê a cena e entende tão profundamente aquele pavor, até então secreto, de seu filho. Tudo resumido a um colocar a mão sobre o peito de Kate e ver que sim, ela está respirando e o coração está batendo, obrigada.

Essa segunda temporada foi, para mim, muito decepcionante. A ponto de eu me questionar se vale a pena ou não assistir a terceira temporada. Por fim decidi que sim, vou assistir. As expectativas são as mais baixas possíveis, não sei nem se dedicarei um post aqui para tal temporada. Não estou compartilhando mais sobre a série, como eu compartilhava antes. Agora, resta a espera da curiosidade genuína, por uma série que, para mim, poderia ter sido a minha favorita.

  • Share:

You Might Also Like

0 comentários