A origem e ápice do Estúdio Ghibli

By Alana Campanha - junho 17, 2020


O estúdio Ghibli (conhecido por Studio Ghibli) foi criado em 1985 por dois artistas, Hayao Miyazaki e Isao Takahata. Ghibli" foi o nome escolhido pelo próprio Miyazaki que significa "vento mediterrâneo" ou "vento quente do Saara." O objetivo da criação do estúdio era de "Trazer um novo frescor para a indústria de animes" aliado ao desejo de ambos criadores de se afastarem dos prazos curtíssimos da indústria e se dedicarem a fazer filmes sem pressa e com foco na qualidade dos desenhos e roteiro. Hoje, anos depois, está claro que o objetivo foi não só alcançado, como superado. Studio Ghibli é considerado um dos, se não o melhor estúdio de animação que já existiu. 

15 de seus filmes animados figuram na lista de filmes de maior bilheteria no Japão. Na lista de vinte filmes de animação japonesa de maior bilheteria, nove são do Studio Ghibli. 
Um ano antes da estreia do estúdio, Nausicaä of the Valley of the Wind foi lançado, que apesar da data, é considerado seu primeiro filme e até faz parte de coleções especiais do estúdio. A estreia real ocorre em 1986 com o longa Laputa: o Castelo no Céu (Tenkû no Shiro Rapyuta), levando 775 mil pessoas aos cinemas. Aclamado pela crítica e público, O Castelo no Céu condensa vários elementos que fariam parte do estúdio: o senso aventuresco, a natureza, personagens carismáticos e mundo maravilhoso que, ao mesmo tempo, não é tão maravilhoso assim devido à ação humana que tudo destrói e corrompe. 

Após O Castelo no Céu, o estúdio lança em 1988 Túmulo dos Vagalumes (Hotaru no Haka) e Meu Amigo Totoro (Tonari no Totoro), ambos considerados obras-primas e principalmente Meu Amigo Totoro, conseguiu um impacto cultural gigantesco no mercado estrangeiro. Mas o sucesso comercial de fato só chegou em 1989 com o lançamento de Serviços de Entrega da Kiki (Majo no Takkyūbin), um conto sobre uma bruxinha que vive a independência pela primeira vez numa cidade nova. Acabou se tornando a maior bilheteria do ano, levando 2,64 milhões de pessoas aos cinemas.

A Viagem de Chihiro
Em 1997 o maior impacto do estúdio até então surgiu com o Princesa Mononoke (Mononoke Hime) e marcou a primeira aposentadoria de Miyazaki. Com seu afastamento e com a morte de Yoshifumi Kondo, o estúdio ficou abalado. A recuperação vem em 2001 com A Viagem de Chihiro (Sen to Chihiro no Kamikakushi), até hoje, o maior sucesso do estúdio e fenômeno mundial. Rendeu um Oscar de Melhor Animação e um Urso de Ouro em Berlim. Apesar disso, Miyazaki anuncia sua aposentadoria pela segunda vez com o intuito de dar espaço a novos animadores.

Outro longa de grande impacto internacional foi O Castelo Animado (Hauru no ugoku shiro) de 2004, que foi indicado ao Oscar. Em 2010, O Mundo dos Pequeninos (Karigurashi no Arrietty) leva 7,5 milhões de pessoas cinemas e se torna a maior arrecadação japonesa para um diretor estreante.

Os maiores destaques após esse período é de Vidas Ao Vento, que marca a aposentadoria definitiva de Miyazaki, e O Conto da Princesa Kaguya, de Takahata. Ambos receberam indicação ao Oscar de Melhor Animação em 2013 e 2014. Muitos consideram O Conto da Princesa Gaguya a mais bela animação e estética do estúdio, por tal, é comum que esteja sempre na lista de longas-metragem injustiçado na premiação do Oscar.

A jornada do Estúdio Ghibli perpassa pelo senso de maravilhamento causado por suas animações, sem a pressão de entretenimento vazio, ele exibe contemplação. O crescimento e maturidade diante da perda em A Viagem de Chihiro, a relação brutal de humanos com a natureza em Princesa Mononoke, o otimismo mesmo diante de horrores da guerra em O Castelo Animado; temas ricos que aliados a uma animação que permite o respiro, dá tempo ao público adentrar naquele mundo novo e nos sentimentos dos personagens, permite histórias cheias de atmosfera, arte e emoções humanas.

  • Share:

You Might Also Like

1 comentários

  1. Dessa lista eu apenas assisti Totoro, mas quero assistir outros, especialmente A viagem de Chihiro.

    https://doce-madreperola.blogspot.com/

    ResponderExcluir