Por que a 13º Doutora é um impasse? E porque Jodie Whittaker não tem culpa nisso

by - 14:04


Não, não é por que o Doutor agora é uma mulher. Eu tenho opiniões bem fortes em ver personagens masculinos "virando" mulheres. Na verdade, sou muito contrária, pois para mim, como mulher, é mais ou menos um insulto. Vejo essas personagens femininas nos quadrinhos, por exemplo, Batgirl, Batwoman, Supergirl, Iron Heart etc. e a única coisa que consigo ver são mulheres maravilhosas e totalmente desperdiçadas e escondidas em legados masculinos que não pertence a elas. Por mais que elas sejam legais, elas nunca chegarão ao patamar do Batman ou Superman. Para mim, é como se os editores de quadrinhos pensassem que heroínas só fariam sucesso se elas forem a versão feminina de "heróis de verdade". Quem se importa com heroínas originais se você pode simplesmente fazer sua garota vestir o legado de um homem que ela jamais será? Há uma razão porque Mulher Maravilha é tão adorada, ela não precisou se escorar em legado de homem nenhum.

Por isso, sou do time que acha que seria uma boa se editores parassem de achar que mulheres são inúteis e não conseguem ser heroínas vendáveis sem o apoio de um "herói de verdade". Mas sei que existem casos e casos. No caso das várias versões do Homem-aranha, por exemplo, estamos falando de muitos universos paralelos em que cada qual, uma pessoa diferente se tornou o ou a Aranha. Com Thor, estamos falando de um cargo que pode ser passado de pessoa pra pessoa. E também se aplica em Doctor Who.

O Doutor é um alienígena metamorfo. Ao chegar próximo da morte, seu corpo regenera e ele se torna outra pessoa, basicamente. O que não entendo, ainda, é como, com essa descrição do Doutor, pessoas mal intencionadas estão destilando ódio por conta dele ser uma mulher agora. Qual a parte de "regeneração" e "alien metamorfo" essas pessoas não entenderam? Não faz sentido. Claro, o Doutor teve umas 15 regenerações, podemos contar então que ele teve 14 corpos (encarnações), e por coincidência, ele foi um homem branco em TODAS as encarnações. Eu não sou do tipo que fica xingando homem e gente branca na internet, acho isso até bobo na maioria das vezes, o problema é que a própria série qualificou a regeneração como uma loteria. Ou seja, para o Doutor ter o mesmo fenótipo 14 vezes seguidas podemos dizer que a loteria está quebrada. 

Doctor Who é uma série de 1963, e apesar de ser meio liberal para a época, o padrão era o protagonismo branco, mesmo para um personagem em que isso não faz sentido. Por isso, estou animada que chegamos numa época em que finalmente o ator escolhido para interpretar o Doutor não será mais escolhido com base na cor e no gênero; se antes, você precisava ser homem e branco, hoje em dia, qualquer pessoa competente pode ser. E isso é bom.

13º Doutora (Jodie Whittaker)
(* sabemos que a troca de gênero após uma regeneração é rara, vamos lembrar que o Doutor gastou todas as regenerações sem trocar de gênero, isso só ocorreu quando ele ganhou outro ciclo. Será que podemos dizer que essas novas 13 regenerações que ela tem serão predominantemente femininas? Não dá pra saber. Talvez um novo ciclo tenha tornado a transrregeneração mais frequente no Doutor, só o tempo irá dizer)

Dito tudo isso, por que a Doutora pode ter sido um dos problemas da temporada?

Quanto mais os anos se passam, mais eu percebo que tenho extrema dificuldade em gostar de novos doutores no primeiro ano. Tive sérios problemas com o 11 e tive dificuldade em me conectar com o 12, e com a 13 isso também ocorreu, nada mais que natural. O problema é que eu sempre reconhecia o Doutor, não importava o quê. O Doutor é uma pessoa boa, que passou por traumas terríveis de guerra e quase extinção, uma pessoa que toma decisões difíceis, mesmo que elas acabem o dilacerando. Seja o 10 apagando a memória da Donna em Journey's End ou o 11 fechando a porta para Amy do futuro em The Girl Who Waited. O lado sombrio do Doutor começara a ganhar corpo no 7, mas foi com a série moderna que isso tornou-se praticamente um dos temas centrais. Até que ponto ele pode ir? O que faz dele uma pessoa boa? Ele precisa ser bom? 

O 9 acabou de sair da guerra, vive agora com o peso de saber exterminou sua própria espécie e que está sozinho, tal sentimento é aprofundado no 10 e tudo piora com as perdas que ele passa, tanto que após ficar definitivamente sozinho, em The Waters of Mars ele quase decide quebrar as leis do tempo e espaço, muito próximo do Valeyard (uma encarnação nefasta do Doutor); depois, claro que ele voltou atrás. Nenhum outro doutor chegou tão perto de cruzar a linha e deixar de ser bom como o 10 e mesmo assim, acabou se sacrificando por uma única pessoa no final. 

Em sua 11 encarnação, parece mudar de um megalomaníaco corajoso para um velho cansado, que acha melhor tentar esquecer tudo que fizera de ruim e continuar ajudando todos que podia; é bastante poético que o Doutor que esquecera foi aquele que aceitou ficar preso durante 1000 anos numa cidade só para proteger seus habitantes. E se como 12 ele mata em seu primeiro episódio, a filosofia que o cerca dele ser ou não ser bom, se desenrola no fato dele ter escolhido seu rosto a partir de uma pessoa que ele salvara a pedido de Donna séculos antes. De um Doutor que se perguntava a todo instante de sua moralidade, acaba por ser a pessoa que fará o Mestre/Missy, seu inimigo, reconsiderar seu lado depois de tantos milênios.

Ele é bom, afinal de contas.

12º Doutor (Peter Capaldi)
Infelizmente, a ambiguidade não está presente na 13. Se desde a S1, vemos o Doutor lutar contra o fantasma de Gallifrey, parece que esse aspecto foi completamente retirado da Doutora pela primeira vez em 10 temporadas. Mesmo após The Day of the Doctor, o Doutor vive o drama de saber que o planeta está perdido e que mesmo após o salvamento, sabe que num ponto, teria coragem de exterminá-lo. E após Clara não aceitá-lo de coração durante uma temporada inteira, o Doutor não viveu exatamente um paraíso, claro que tudo piorou após a morte de Clara e tempos depois, a morte de Bill Potts. A questão é que os conflitos no Doutor sempre existiram na New Who, e sua inexistência na 13 é gritante. 

Ela é curiosa, super alegre, extremamente pacifista, infantil, muito feliz e quase sempre positiva, uma amalgama entre a paz e amor do 5 e a impetuosidade e caretas do 10. Mas um Doutor não pode ser feito unicamente por características positivas, principalmente na New Who. E se contar o fato de que a 11 temporada é supostamente uma temporada para pessoas que nunca assistiram Doctor Who, tudo fica pior ainda, pois não só não temos uma protagonista sem nenhuma carga dramática, como subjugada num papel secundário, já que a trama só se preocupa com o drama de outros personagens.


13 não parece ser a mesma pessoa que perdeu tanto e fez decisões tão difíceis. Mesmo que o 11 também fora uma espécie de "remake" por onde você também pode começar a assistir, sempre fora óbvio que aquele cara de gravata borboleta passou por acontecimentos conturbados, você via isso por uma fala aqui, outra ali, o olhar, um silêncio, o jeito com que as expressões eram enquadradas. Eu me lembro de quando perguntaram ao 10 o porquê dele estar sozinho e ele respondeu: "eles me deixam porque precisam, ou porque encontram outras pessoas... Eu acho que no final... eles partem meu coração". Onde foi parar a emoção que sentimos pelo Doutor nessa cena na nova temporada? O Doutor sempre precisou lidar com suas perdas e com as decisões difíceis que ele fez na New Who, onde isso está na 11 temporada? 

A 13 parece uma página em branco que seria legal caso fosse a 1, mas não a 13, literalmente a mais velha de todos e a que consequentemente, mais experienciou. E vamos combinar: O 1 teve realmente um arco de mudança e evolução, o que infelizmente não podemos dizer da 13.

11º Doutor (Matt Smith)
Como já disse anteriormente, tudo é culpa de Chris Chibnall. Ele não parece não só não saber como escrever ficção-científica, como não consegue escrever um Doutor. Talvez uma alienígena bilenar cheia de complexidade, perpassando culpa, ética e ainda alinhada a excentricidades e bom humor é algo além da capacidade dele, então o melhor jeito que encontrou foi ignorando tudo isso, só deixando a parte engraçada e bondosa do personagem. E como se não bastasse desperdiçar o talento de Jodie Whittaker, que tanto brilha nos raros momentos com bom roteiro, ele teve a ousadia de proibi-la de assistir a série para "não acabar imitando outros doutores sem querer". O completo desrespeito com a obra de Doctor Who e com a própria atriz. 

Chibnall ignora o fato de quase todos os atores viveram a série na veia antes de serem o Doutor; David Tennant e Peter Capaldi que eram fãs e sempre sonharam em ser o Doutor, são reconhecidos como as melhores interpretações de hoje do personagem. E o que dizer de Matt Smith, que apesar de não ter assistido Doctor Who quando foi escolhido, assistiu a série para estudar o próprio personagem e acabou virando fã; assim, Matt Smith acabou entregando uma das melhores atuações na história de Doctor Who. Mas Chibnall parece não querer saber em ajudar os atores; sabotá-los é melhor. E esquecer do óbvio: que todas as encarnações são literalmente o mesmo personagem, um ator ou atriz se inspirar um pouco em encarnações passadas (como sempre ocorre), não é ruim, é só algo normal, já que, novamente, é o mesmo personagem.

10º Doutor (David Tennant)
Para finalizar, não só Doctor Who merece melhor, como Jodie Whittaker merece melhor. É inconcebível uma atriz ou ator de Doctor Who ser proibida de estudar a série. Chibnall sabia do backlash da alt-right ou dos idiotas que se doeram por Whittaker ser escolhida, e mesmo assim, ele não se esforçou em entregar uma boa temporada e silenciá-los. Preferiu entregar uma entre o ruim e o medíocre, e de quebra, prejudicar o trabalho de Whittaker, que teve seu rosto como o foco dos ataques da mesma galera que se doeu por Pantera Negra e Capitã Marvel. Os mesmos idiotas que não sabem o que é "roteiro", "storytelling" ou "escrita" ou o porquê de tudo isso normalmente ser o motivo do fracasso de qualquer produção, seja na TV ou no cinema. 

Esperemos que Chris Chibnall melhore ou do contrário, é melhor ele ser um showrunner mais voltado à produção e não à escrita; seria uma boa ideia deixar roteiristas convidados terem mais episódios a seu dispor, já que Chibnall não conseguiu atingir o nível d qualidade deles na S11. Se a temporada 11 e a Doutora seguir o mesmo caminho, então é melhor que Chibnall saia e deixe um showrunner melhor com Jodie Whittaker, pois como já disse, ela merece muito mais.


You May Also Like

0 comentários