Por que não escrevo/posto mais

by - 18:59

Hoje o post vai ser assim: cru, sem foto ou marcadores. É só mais um desabafo mesmo, e talvez eu me arrependa de estar escrevendo isso e apague, quem sabe? 

A essa altura do campeonato, ficou claro que eu levo o blog muito a sério. Dediquei e dedico algum tempo e dinheiro a ele - e é por amor, porque não ganho nada para estar aqui além de satisfação pessoal. 

Eu gostaria de postar mais vezes, de escrever mais textos. E não é por falta de conteúdo. Tenho um caderno cheio de ideias, um monte de livros para resenhar, ideias de textos originais... mas a vida acontece, e as coisas se atropelam e tornam algo simples em complicado.

Assim como todas as pessoas do universo, tenho problemas na minha vida. Não entrarei em detalhes, porque não quero expor pessoas ou situações, apenas o sentimento. Acontecem várias coisas todos os dias, e a vida parece realmente uma batalha diária. Tem momentos em que penso "Cara, que inferno" para não usar palavras mais feias hahaha. Fico com a garganta apertada - é nó na garganta que fala né? 

Eu sei que algo precisa ser feito em relação a esses problemas, mas não faço ideia do que fazer. Talvez, se você que está lendo soubesse, diria que é um probleminha de nada, ou que é um problemão sem solução. Não sei mesmo. O que fazer, como fazer. Sei que problemas acontecem e estão aí para fortalecer a gente. Espero sempre sair de um problema mais forte do que entrei nele. Mais madura, mais sábia. Apesar de na maioria das vezes achar que só saio mais machucada (metaforicamente, antes que alguém fique preocupado).

E são essas coisas, esses problemas, que matam um pouco a vontade de escrever. A vontade de sentar em um computador e dividir a minha vida, seja através de textos, resenhas ou o que for. Da vontade mesmo é de ficar sozinha, chorar um pouco ou pensar sobre a vida - tentar entender o que estou deixando passar; aquela verdade crucial que poderia transformar meus problemas em pó. 

Eu poderia dizer que é só uma fase, e que vai passar, porém eu sei que alguns tipos de problemas não passam realmente, nós é que aprendemos a viver com eles. A conviver todo dia, a enxergar os lados bonitos. 

Sei que no geral esse texto não faz muito sentindo, mas é só um desabafo, como eu disse. Eu só precisava conversar, e achei que você aí do outro lado poderia ser um grande começo. 

E é, viu. 


You May Also Like

0 comentários