Quem disse que ser youtuber é fácil?

by - 07:42


É dia 15 de junho de 2018. Acordo cedo: 7:45. Olho para o celular, incrédula por ter acordado esse horário sem a ajuda de um alarme. Mando mensagem para minha prima perguntando se ela estará em casa hoje, porque quero gravar vídeo para o Youtube, e a casa dela é como se fosse meu estúdio. Ela estará em casa. Levanto da cama, escovo os dentes, lavo o rosto, tomo café da manhã. Acho que lavar o cabelo antes de ir é uma boa ideia, até porque faz quatro dias que não lavo o cabelo. São 9 horas da manhã. Lavo o cabelo e modelo os cachos. Escovo os dentes de novo. Penso em tudo que eu posso precisar para gravar os vídeos - sim, eu pretendia gravar dois. Pego uma bolsa grande, a câmera e os cabos dela, meu caderno com o roteiro de um vídeo, minha carteira, óculos e maquiagem. Decido levar o notebook também, pois a memória da câmera fica cheia depois de dois vídeos curtos. Troco de roupa. Mando mensagem para minha prima avisando que estou indo. 15 minutos de caminhada. Chego na casa dela. Ela me empresta um espelho e eu começo a me maquiar. Noto que esqueci a espuminha de aplicar a base líquida bem como o pó compacto. Faço o melhor que posso utilizando os dedos. Esqueci a máscara de cílios também - apenas o meu item favorito de maquiagem. Não é uma das melhores maquiagens que fiz, mas eu não tenho escolha a não ser gravar assim. Pego o caderno para fazer o roteiro do segundo vídeo. Esqueci a caneta. Minha prima me empresta uma e gasto um bom tempo, sentada à mesa, fazendo as devidas anotações para não esquecer nada. Penso na ironia disso: se eu tivesse anotado tudo que ia precisar para vir gravar, não teria esquecido nada. Resolvo tirar as fotos para as thumbnails, abro a janela para aproveitar melhor a luz solar. Nenhuma foto fica muito boa, mas ficam boas o suficiente. Minha prima termina o almoço e me convida para almoçar. Decido almoçar antes de gravar o vídeo. Almoço. Minha prima e seu marido saem para resolver seus assuntos e eu tenho a casa só para mim. Entro no mesmo quarto de sempre, e deixo ali a câmera. Volto na cozinha e pego uma cadeira. Coloco no mesmo quarto. Procuro uma caixa, coloco no assento da cadeira, coloco a câmera em cima. Cadê o caderno? Vou na cozinha buscar o caderno. Não dá para virar a tela da Coolpix 2600 para mim, pois ela não tem essa funcionalidade. Pego um travesseiro, coloco no chão, sento. Respiro fundo. Sorrio para a câmera. Aperto o botão de gravar, para pegar os ruídos do ambiente, para eu tentar tirar eles do vídeo mais tarde. Ok, é agora. Estendo o braço, aperto o botão de gravar. Olho de vez em quando no caderno, mas consigo falar as coisas que eu queria do jeito que eu queria. A câmera desliga. Pego a câmera, ligo de novo. Eu sei que quando a memória enche ela para de gravar e desliga. Resolvo olhar o vídeo para ver onde parou e continuar dali - dá para gravar dois vídeos de aproximadamente 8 minutos cada, mas não dá para gravar um único de 16 minutos. Não gravou nada. Resolvo sentar próxima a outra parede e recomeçar. Pego a câmera com a tela virada para mim, aperto para gravar, e quando vejo a bolinha vermelha piscando na tela, coloco ela em cima da caixa e começo a falar tudo de novo. Ela desliga quando acabam os meus primeiros 8 minutos. Ficou uma bosta. Apago. Repito tudo de novo. Ela desliga. Não estou afim de assistir ao vídeo inteiro de novo. Continuo a partir da última fala que me lembro. Termino. Assisto ao primeiro vídeo. Assisto ao segundo. Noto uma lacuna gigante entre o fim do primeiro e o começo do segundo. Preciso gravar de novo. Vejo os minutos que me restam. Tento fazer o que faltou falar caber nesses minutos. Dá certo. Tenho outros assuntos para resolver, então decido gravar só esse mesmo. Minha prima chega. São 16 horas. Volto pra minha casa. Mais 15 minutos de caminhada. Preciso ir para uma cidade vizinha resolver uns problemas. Pego dois ônibus, resolvo meus problemas. Pego mais dois ônibus. São 20 horas. Meu namorado veio me visitar, assistimos um filme e um anime de 12 episódios curtos. O filme é ok, o anime é bem ruim, mas o último episódio... bom, não salva, mas faz a loucura dos outros 11 fazerem sentido. É meia noite e meia. Tomo banho, durmo. Acordo na manhã seguinte às 9 horas, disposta a editar o vídeo. Quero upar ele ainda hoje. Uso o notebook da minha mãe - o meu é um Positivo bem ruim. O Movie Maker trava toda hora. Faço outras coisas enquanto espero ele destravar. Penso que ainda precisarei descobrir como se tira ruídos do vídeo. O Movie Maker não volta. Perco todas as edições. Estou cogitando dar shift+delete em todos os arquivos, excluir o canal e quebrar o meu notebook no chão. Lembro que o notebook não é meu, na verdade. O meu é tão ruim que não dá nem pra usar ele pra editar. Escrevo uma crônica sobre tudo. Abro o Movie Maker de novo e começo a editar tudo do zero. 

Fonte da imagem: https://bit.ly/2JRdVEj

You May Also Like

0 comentários