Cap. 5 - Minha Heather

by - 16:09


ATENÇÃO! ESSE POST É UMA CONTINUAÇÃO. SE CHEGOU AQUI POR ENGANO, TE ACONSELHO A LER OS CAPÍTULOS ANTERIORES.

O lobo arregalou os olhos e deu um passo em minha direção.

– Sai daqui! – Gritei. – Sai de perto da Heather! – Outro golpe doloroso completou essa frase, e dessa vez seguido por um urro de dor.

Minhas pernas bambearam e caí no chão, abraçando meu próprio corpo.

Dor. Dor. Dor.

Demorou uns minutos para o Jake voltar a forma humana, se vestir, me pegar nos braços e me levar até Carlisle.

Só doía mais e mais e mais e mais. E eu sabia que ainda não era o tempo certo da Heather, mas ela nasceria hoje. Eu podia sentir.

Carlisle imediatamente me colocou na cama, e começou fazer perguntas para Jacob, que explicou-lhe que me exaltei durante uma discussão.

– Droga, já está com tudo isso de dilatação? – Ele exclamou. Era a primeira vez que eu via vovô Carlisle nervoso. – Prepare o soro. Precisamos inibir o parto. – Pediu para Esme.

– Não adianta, vovô! – Exclamei. – É HOJE, É HOJE! – As últimas palavras foram gritadas com a angústia da dor que senti.

Estavam todos aqui. Vovó Esme, vovô Carlisle. Tia Rose, tio Emm, tia Alice, tio Jazz. Jake.

– SAIAM! – Gritei.

Implorei com os olhos para tio Jasper. Eu sentia muito medo e desejava ficar sozinha, com o menor número de pessoas possível - vampiros e lobos, que seja. Ele sentiu isso, minha angústia, meu medo, meu desejo de solidão.

Ele conversou com todos, os convencendo a sair. Sobraram vovô Carlisle, Jake e tio Jazz.

– Você consegue, minha princesa. – Jake me disse, segurando forte minha mão.

Não disse nada, pois a dor me impedia de falar.

– Carliste, ela está sucumbindo a dor. – Jasper disse num tom de voz que pareceu que era ele quem estava sentindo tudo que eu sentia.

Rapidamente, vovô me aplicou uma anestesia na base da coluna.

– Você vai ter que fazer força. Depende apenas de você.

E eu fiz. Toda a força que eu consegui. A dor não estava mais ali. Eu sentia as contrações, e forçava quando elas vinham. Mas não eram cheias de dor, como no começo e sim a sensação de músculos contraídos, de algo querendo sair.

Heather não nasceu saudável. Não chorou quando saiu de mim. Achei que ela estivesse morta.

– Me dá! – Ordenei. – Ela precisa de mim.

– Espere um instante. – Vovô Carlisle me disse, e foi levando Heather para longe de mim.

– Me dá logo, vovô! – Gritei e tentei me levantar da cama. Quase caí nessa atitude desesperada de ter Heather nos meus braços e de saber que ela estava bem.

Sem outra saída, Carlisle me deu Heather.

Olhei para seu rostinho manchado de sangue. Heather era de longe a coisa mais linda que eu já tinha visto em toda minha vida. Seus cabelos eram negros e espessos como os de Jake. Mas todo o resto era meu. Os olhos, o tom da pele, o formato da boca. Heather era totalmente minha.

Ela estava respirando. Mas parecia fazê-lo com certo sacrifício, como se o ar entrando em seus pulmões fosse algo doloroso.

– O que você tem? – Perguntei, acariciando seu rosto pequenino e macio.

Ela não reagiu a meu estímulo.

– Agora me dê ela, Renesmee. – Carlisle pediu.

Ignorei-o, e tentei novamente falar com Heather.

– Minha filha, por favor, reaja. Chore, faça alguma coisa! – Eu implorava e chacoalhava ela de leve.

– Ness, passe a Heather para o seu avô. – Jacob me disse.

– Ela precisa de mim! – Argumentei. – Ela precisa de mim.

Aproximei-a bem perto do meu corpo, aquecendo seu corpinho minúsculo. Pela visão periférica, vi quando Jasper injetou algo no meu soro.

Essa sua atitude só chamou minha atenção quando senti minhas pálpebras pesarem de maneira irresistível.

– O… que está… fazendo? – Minha voz saiu grogue.

Ia protestar, quando senti minha Heather ser tirada dos meus braços, mas o sono era forte demais.

– Carlisle, acho melhor não deixá-la a sós com o bebê. – Ouvi Jasper dizer. – Acredito que Renesmee esteja com…

Antes que ele pudesse completar a frase, apaguei totalmente.


Notas da autora: Hoje falarei como autora da fic, mas também como coautora do blog. Pra quem não sabe, estou nos Estados Unidos, fazendo intercâmbio de au pair. Aqui, eu não tenho um notebook ainda, e o note que uso tem toda configuração para inglês, então corrigir e escrever é um pequeno sacrifício. Por esse motivo, a postagem de Forever, com as devidas correções estava parada - bem como os meus posts no blog. Estou me organizando para comprar um notebook pra mim, mas até lá vou tentar ser muito paciente enquanto copio e colo letra por letra em caso de acento ou cedilha. Agradeço a todos que estão acompanhando o blog. Chegamos a mais de 100 mil views. Estou orgulhosa do nosso trabalho, e muito mais orgulhosa por você, aí do outro lado da tela, que torna isso possível. Muito obrigada!

You May Also Like

0 comentários